agosto 2013

CRUZANDO FRONTEIRAS

CRUZANDO FRONTEIRAS

“Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão, se não houver quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: “Como são belos os pés dos que anunciam boas novas!” Romanos 10:14-15

 Nosso tema este ano está relacionado ao desafio feito pelo apóstolo Paulo aos gentios.

 Quando falamos em missões transculturais, normalmente pensamos em tribos indígenas da Amazônia e da África, em povos mulçumanos ou na Janela 10-40. Os desafios nestas regiões são quase intransponíveis, mas no decorrer da história das missões eles têm sido enfatizados e pouco a pouco vencidos através do surgimento de missionários dispostas a aceitar o chamado. Glória a Deus por essas vidas. Devemos realmente, com muito compromisso, mantê-los em nossas orações.

O desafio que queremos lançar no CNUC 2013, entretanto, está relacionado à realidade urbana, underground e alternativa, de grupos e tribos que vêm surgindo por todos os cantos do mundo. São rastafáris e tribos urbanas da África, punks, rockeiros e headbangers espalhados por países de religião mulçumana, judaica e hindu. São jovens da América Latina e da Europa, regiões infestadas de malucos comprometidos com ateísmo, drogas, prostituição e todo tipo de loucura. Tudo isto, sem nos esquecermos dos jovens norte-americanos, abastados e consumistas, que também necessitam de Cristo. O mundo clama, os jovens deste mundo clamam, as tribos urbanas clamam, as comunidades alternativas clamam.

O desafio está feito!!! Bora sair desse nosso mundinho e encarar os desafios desta marcha. Nosso passaporte é a Cruz que rompe com todos os paradigmas.

Agora é hora de cruzar as fronteiras!!!

CNUC 2013 – Belo Horizonte